11 de agosto de 2011

7SÉRIE: DRAMAS & MELANCOLIAS

Noches de juegos
Vigésimo Primeiro Capítulo - É madrugada


É madrugada, o canto do galo que eu acordei ecoa indignado. É tarde para mim, cedo demais para ele. Chove forte lá fora, cá dentro pinga sobre a mesa. A busca para o desfecho da trama que envolve a questão de vida ou morte para a personagem Isis, uma fisioterapeuta pedófila, é o empecilho. Deixo para amanhã, quem sabe o cotidiano traga algum toque mágico. Percebo que já é dia e, para espreitar a realidade, antes de pegar no sono, garimpo os emails. Jorge Onofre está em minha caixa de entradas, temo que seja um vírus ou qualquer brincadeira tosca. Nunca recebi qualquer correio dele e sequer desconfiei que ele pudesse ter meu endereço eletrônico. Porém, lá nos escombros da memória enxergo uma possibilidade, não me contenho, abro e leio intrigado:

“Caro contador de histórias, boa tarde.

Jamais pensei em toda a minha vida que os fracassos e sucessos que vivi e tenho vivido, possuíssem alguma chispa que fosse de utilidade. Nunca tirei, nem para mim mesmo sequer, qualquer lição que pudesse considerar importante. Tudo que tenho aprendido tem tido como fonte única, sempre e invariavelmente, a vida do outro.

Confesso que fiquei envaidecido quando me deparei com os primeiros capítulos daquilo que você em prefácio justifica como a correção de distorções que certos despreparados comentaristas teriam tecido a meu respeito. Porém no decorrer dos seus escritos venho notando que, assim como aqueles a quem criticou, você tem cometido desvirtuamentos imperdoáveis. Confesso que convivi, em alguns momentos ao menos, com a maioria dos personagens citados, todavia há certas passagens que honestamente não me recordo e outras ainda em que, sem estar citado, não vejo qualquer possibilidade de ligá-las a minha história.

Em resumo, gostaria que, caso você não encontre mais nada de verdadeiro ao meu respeito, me privasse de invenções. Sou grato e envaidecido, conforme disse, mas prefiro que retire meu nome das tramas desse seu tecido.

Grato, Jorge Onofre!

Pasmado, mas inegavelmente envaidecido com as declarações deste personagem e leitor, vejo que o sono se dissipou e que para o caso de Isis, a fisioterapeuta pedófila, seria precoce optar pela morte.

Claudio Zumckeller

Um comentário: