20 de dezembro de 2010

REALPOLITIK - LULA: O NEOLIBERAL

Após anos de crítica a política econômica de FHC, Lula segue a cartilha

A elite econômica mundial sempre deu seu jeito de dominar o mundo. No antigo império romano, eles dominavam através do poderio bélico, depois a dominação passou a ser ideológica, já que Roma cristianizou meio mundo.

Nosso atual império, os EUA, que nossos jornalistas tanto admiram, controlam econômico e politicamente o Brasil há anos. A elite financeira da maior potência bélica do mundo adotou, desde o final da segunda guerra mundial, o neoliberalismo, sistema em que, teoricamente, o empresário pode produzir e negociar sem nenhuma “ingerência governamental”.

Porém caros leitores, como era de se esperar, o verdadeiro intuito deste discurso de liberalismo econômico é o lucro sem freios, sem escrúpulos, à custa da neo-escravidão e do suor dos trabalhadores. Entretanto, a mídia e os intelectualóides, costumam afirmar que o Estado torna os serviços ineficientes, por isso, deve-se transferir a gestão para setores privados, que, por visarem somente o lucro, seriam mais eficientes. Isto tem lógica? Acredito que não, pois uma empresa privada não costuma prezar pela qualidade serviços em detrimento do lucro. Dessa maneira, os setores privatizados se tornam grandes e rentáveis caça-níqueis de multinacionais que não têm nenhum interesse no bem comum e visam somente o money.

Luiz Inácio Lula da Silva costumava inflamar a massa fazendo discursos engajados que, invariavelmente, atacavam a política econômica do governo FHC. Segundo o antigo discurso do nosso presidente, o PSDB estaria afundando o nosso país com uma política “entreguista”. Curiosamente, ou não, Lula sentou no trono e seguiu a mesma cartilha neoliberal, mas, justiça seja feita, reverteu este processo suicida de privatizações em massa que foi marca do governo tucano. Apesar disto, Lula não destoa no discurso dominante, é o presidente neoliberal do século 21.

Quem te viu, quem te vê.

Thiago Menezes

4 comentários:

  1. É a clássica questão "do poder": ou o cara se enquadra no esquema e faz o sistema funcionar ou ele é apeado do cargo. Quem sabe o que poderia ter ocorrido se Lula governasse conforme sua formação ideológica, embora eu sempre o considerasse de certa forma pragmático. Conjecturas, conjecturas...

    ResponderExcluir
  2. Pois é né véio... ele só venceu pq mudou o discurso... mas será q valeu a pena?

    ResponderExcluir
  3. Dois mandatos, o carisma singular, a conjuntura econômica favorável e a inteligência adquirida na grande escola da vida.
    Não vejo, sobretudo no Brasil, alguém que conheça como ele os meandros do poder.

    ResponderExcluir
  4. "Dois mandatos, o carisma singular, a conjuntura econômica favorável e a inteligência adquirida na grande escola da vida. Não vejo, sobretudo no Brasil, alguém que conheça como ele os meandros do poder." concordo.

    Mas, mesmo assim, tenho algumas ressalvas.

    ResponderExcluir