24 de novembro de 2010

UMUNDUNU - UFOLOGIA NA MÍDIA

De acordo com a jornalista Paolla Arnoni, especializada em ufologia, a cobertura dos principais casos ufológicos pela televisão brasileira foi insatisfatória. Paola explica que “a ufologia quando cai na imprensa de forma não preparada, vira chacota”.

Ainda de acordo com a jornalista, apesar de considerar que a cobertura televisa não trata a ufologia de forma séria, ela analisa que com a liberação de documentos oficiais secretos por parte do governo a tendência é que cada vez mais, não só a televisão, mas a imprensa num geral, passem a dar mais atenção ao tema.

O cinema, assim como a televisão, prejudica muito a imagem da ufologia devido ao sensacionalismo cinematográfico criado. “A maioria dos filmes causa pânico, eles invadem, acabam com o planeta ou querem o planeta para eles” afirma Arnoni. Mas apesar disso, a jornalista ainda aponta filmes que tratam o tema de uma maneira mais séria e explicativa “um exemplo clássico, é o filme 'Contatos Imediatos de Terceiro Grau', que além de informar de maneira, digamos, científica passa uma imagem mais pacífica da ufologia”

Além do citado acima, outro filme que fez muito sucesso foi "Fogo no Céu", filme baseado em fatos reais que narra à história da suposta abdução do americano Travis Walton. De acordo com a história, Walton, que era lenhador, foi abduzido por um objeto esférico luminoso no meio da mata, cinco outros lenhadores, que eram amigos dele, teriam visto o ocorrido. Travis reapareceu cinco horas depois alegando que tinha sido abduzido e estava numa nave com extraterrestres pequenos, cabeçudos e com olhos grandes.

Ricardo Alge

3 comentários:

  1. Quem deixou usar a foto do seu Hélio?

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz com as citações. Afirmo novamente que devido à liberação dos documentos militares, aos poucos, a ufologia será tratada de forma séria.

    ResponderExcluir
  3. mandou bem
    espero que tratem com a seriedade necessária o assunto da ufologia e também sobre os contatos e suas informações
    Diego Alberto Curio

    ResponderExcluir