10 de novembro de 2010

UMUNDUNU - REDES SOCIAIS: EXPOSIÇÃO EM DEMASIA DA VIDA PARTICULAR

Sei a hora em que você se levanta. Sei também quando vai dormir. Sei exatamente quando está em casa, quando saiu, quando vai voltar. Isso se você voltar. Sei de todos os seus horários, de suas rotinas, de seus afazeres. Todo o seu cotidiano. Quando muda algo já não me surpreende, sei também que és indecisa por diversas vezes.

Sei exatamente onde você mora, conheço toda sua família e amigos. Inclusive o seu lindo cãozinho de estimação que sei que não é capaz de fazer mal nem as próprias pulgas. Sei a padaria em que você compra pão, e até qual o seu café da manhã preferido. Logo após o banho demora um pouco para escolher a roupa, mas logo aparece na rua indo em direção ao trabalho.

Pega ônibus no mesmo lugar, sempre cheio. Diversas vezes atrasado, e o motorista lerdo é o mesmo de sempre. No metrô lotado sempre reclama do cara que vai atrás de você, um safado, diga-se de passagem. No trabalho tem a atenção de todos, é bastante eficaz no que faz. Logo receberá uma promoção pelos serviços, tenho absoluta certeza. Tanto quanto você. Sai para almoçar às 13h, diversifica. Carne vermelha quase nunca, às vezes até vai a uma churrascaria, mas sempre com os amigos, os colegas mais próximos do trabalho. Nos outros dias almoça só, não come muito.

Tem medo de engordar e por isso voltou a fazer academia recentemente. Volta para o trabalho e logo despejam uma avalanche sob sua mesa. É trabalho para mais de uma semana, mas tem que ser feito hoje, e para ontem. Vai embora sempre depois de todos, diversas vezes já apagou a luz do escritório. Na sexta é dia de “Happy Hour” com a galera do trabalho. Sempre no mesmo bar, sempre os mesmos pedidos.

Ganha bem, tem carro, mas não suporta o transito da cidade. Por isso só dirigi nos fins de semana, para trabalhar vai de ônibus mesmo. Gostaria de viajar, conhecer alguma praia do Nordeste. Não namora. Mas diverte muito com os amigos. Festas, baladas, bares.

Mora bem, um bairro pequeno, bem próximo a área nobre da cidade. Apesar de não se considerar, tem um nível de vida bem diferente dos vizinhos.

Sei tudo sobre você, seus horários, suas preferências, os locais frequentados, de quem gosta, do que gosta, onde está, para onde vai. E tudo isso sem nunca ter cruzado com você pela rua.

Como?

Redes Sociais.

Eu nunca te perguntei nada, você sempre me disse tudo. Tudo o que eu precisava. Agora a única coisa que eu preciso é que sua família pague o resgate, mas isso não dá pra fazer pelo Twitter.

Renato Souza

Um comentário:

  1. Hj td mundo se expoe nas redes sociais e eu acho isso muito escroto, ótimo texto

    ResponderExcluir