8 de novembro de 2010

UMUNDUNU - ATENTADOS CONTRA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO

RSF divulga novos casos com frequência

Os “Repórteres sem Fronteiras” desestimulam quem pretende ingressar no jornalismo. Não pela qualidade do site (http://es.rsf.org/), um dos melhores que já li, e sim, por conta das sistemáticas notícias sobre jornalistas que são assassinados ou sofrem atentados. Eles mostram o que a grande mídia abafa. Jornalista morto por incomodar interesses de poderosos é mais normal do que vocês possam imaginar. Mas, para deixar de blá, blá, blá... Vamos aos exemplos:

Três policiais militares condenados pelo assassinato do jornalista Luiz Barbon Filho em 2007
“O Tribunal de Justiça de São Paulo enviou uma mensagem importante na luta contra a impunidade, a 27 de março de 2010, ao condenar quatro homens, entre os quais três policiais militares, pelo assassinato do jornalista Luiz Barbon Filho...”
http://es.rsf.org/brasil-tres-policiais-militares-29-03-2010,36853.html

Guerra en Irak, la más grande hecatombe para la prensa marzo 2003 – agosto 2010
“Esta mañana, Riyad Assariyeh, periodista de la cadena Al-Iraqiya, fue asesinado por desconocidos cuando salía de su domicilio en Bagdad...”
http://es.rsf.org/irak-guerra-en-irak-la-mas-grande-07-09-2010,38296.html

Um apresentador de televisão vítima de atentado
“O jornalista Handson Laércio, radialista e apresentador da cadeia TV Mearim, no Maranhão, foi baleado à saída do seu domicílio, no dia 14 de abril de 2010, quando se dirigia à rádio para a qual trabalha. Ao tentar proteger-se, foi atingido na mão...” obs.: este pelo menos não morreu
http://es.rsf.org/brasil-um-apresentador-de-televisao-16-04-2010,37057.html

Thiago Menezes

0 comentários:

Postar um comentário