9 de outubro de 2010

NOTA DO BLOG - TV Educativa de Jundiaí realiza encontro sobre jornalismo policial com Percival de Souza


Evento, que acontecerá no próximo dia 23/10, será marcado por uma palestra do jornalista da Rede Record e pelo lançamento de dois livros sobre a área policial,
com manhã de autógrafos e MPB

O jornalismo policial, uma das áreas mais fascinantes e controversas do jornalismo, e curiosamente ainda pouco estudada e debatida, é o tema de um encontro que a TV Educativa (TVE) de Jundiaí (SP) promoverá no próximo dia 23/10.
Aberto ao público, o evento será marcado por duas ações. Primeiramente haverá uma palestra de Percival de Souza (foto) sobre o tema “O papel do jornalismo policial brasileiro no século XXI”, na qual o jornalista da Rede Record analisará a importância desse tipo de cobertura para a nossa sociedade, no auditório Charlie Chaplim, no Complexo Argos.

Posteriormente, nas dependências da TV Educativa, ocorrerá o lançamento de dois livros que foram apresentados na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo: O Crime Quase Perfeito, de autoria do próprio Percival, e Jornalismo Policial: histórias de quem faz, escrito pelos alunos do 4º ano de Jornalismo (2010) da UNIBAN Brasil, com a organização da jornalista e professora Patrícia Paixão, e que tem como uma das autoras-estudantes a cantora jundiaiense, Marta Corrêa.

O Crime Quase Perfeito, editado pela Idea, é a primeira obra de ficção de Percival de Souza. Trata-se de uma novela policial, inspirada em fatos verídicos, que transita entre o real e o fictício. A obra, mais do que um romance policial, é um retrato da alma humana, por exibir as motivações mais vis que podem guiar o ser humano em seus atos. Os mais de 30 anos de experiência no jornalismo investigativo desse renomado jornalista policial são refletidos na genialidade do enredo.

Jornalismo Policial: histórias de quem faz, publicado pela editora jundiaiense In House, é um livro que oferece um panorama sobre a cobertura policial brasileira atual, por meio de 17 entrevistas exclusivas com os principais profissionais que cobrem a área policial. Além de Percival de Souza, participam do livro os jornalistas Fernando Molica, Renato Lombardi, Marcelo Rezende, Domingos Meirelles, Luiz Malavolta, Josmar Jozino, Gil Gomes, Robinson Cerantula, Fátima Souza, André Caramante, Bruno Paes Manso, Afanasio Jazadji, Gio Mendes, Fausto Salvadori Filho, Marco Antonio Zanfra e Pantera Lopes. Esses profissionais debatem os principais méritos e deméritos da área, analisando coberturas famosas como os casos Escola Base, Favela Naval, os ataques do PCC em São Paulo, o assassinato da menina Isabella Nardoni e o fatídico sequestro da garota Eloá Cristina Pimentel, em Santo André, na Grande São Paulo.

Para compor a manhã de autógrafos, a TV Educativa convidou a cantora Juliana Lima, de Santo André, para uma apresentação de MPB, voz e violão, destacando hits conhecidos e composições de própria autoria.

“O objetivo do encontro é valorizar o trabalho jornalístico e os profissionais da cidade, que são muitos, agregar novas perspectivas, debater e refletir sobre a postura da imprensa hoje em dia. Eventos como esse criam sempre grandes oportunidades de discutir conteúdos, estabelecer parcerias e inovar, especialmente quando podemos contar com a presença de um profissional como Percival de Souza”, explica a superintendente da TVE Jundiaí, Mônica Gropelo.

SERVIÇO
Encontro sobre Jornalismo Policial na TVE de Jundiaí
Data: 23/10/2010 (Sábado)
Local: Auditório Charles Chaplin - Av. Doutor Cavalcanti, nº 396 (Complexo Argos) – Vila Arens – Jundiaí/SP
Horário: das 10h às 12h
Informações http://www.tvejundiai.com.br/
Para mais detalhes, procure Denise Oliveira/Rosana Pagano: (11) 4587-5151 ou Patrícia Paixão: paixao.patricia@uol.com.br
Vagas limitadas, palestra gratuita.

2 de outubro de 2010

EDITORIAL 7CO – UM BLOG CENSURADO. SEREMOS OS PRÓXIMOS?


O diário paulistano “Folha de S.Paulo”, o mesmo que emprestou seus caminhões de distribuição de jornais para auxiliar o golpe militar de primeiro de abril de 1964, acaba de censurar um site crítico à sua cobertura política. O jornaleco - pois tomou atitude de um - da rua Barão de Limeira, insultou-se com o blog “Falha de S.Paulo” e obteve uma liminar, concedida pelo juíz Nuncio Teophilo Neto, da 29ª Vara Cível de SP, sob pena de pagar multa diária de R$ 1.000 (veja fac-símile da liminar ao lado e leia a íntegra da nota dos donos do site abaixo).

7CISMO solidariza-se inteiramente com o “Falha de S.Paulo”. Como membros de um pequeno veículo de jornalismo ácido, cultura e humor, os 7cos não dispõem de recursos econômicos para contratar advogados ou pagar multas arbitrárias definidas por magistrados enfurnados em gabinetes acarpetados e com ar-condicionado. Estamos preocupados, em estado de alerta - agora, todo cuidado é pouco para quem trabalha com jornalismo independente ou de opinião.

De hoje em diante, deveremos consultar um advogado sempre que uma matéria crítica de política ou de mídia for publicada?

Estaremos, nós jornalistas, eternamente sub judice?

São Vladimir Herzog, nos socorra!

Tal qual nossa solidariedade demonstrada ao diário “O Estado de S.Paulo”, outro grande jornal paulistano, sob censura há mais de 400 dias, ficaremos sempre ao lado da liberdade de expressão e contra a censura - de qualquer natureza, e especialmente esta, comum nos dias de hoje, de juízes que vestem a carapuça klukluxklaniana em benefício de “sarneys” e “frias” da puta!

A solidariedade se estende também no quesito parcialidade/imparcialidade, ideias tão debatidas. O “Estadão” foi honesto com seu leitor ao apontar sua ideologia e seus candidatos. Isso não o exime da seriedade e da ética com que a informação deve ser tratada, no entanto firma uma posição, deixa claro. Dessa maneira, o veneno contido entre as letras das páginas dos jornais diários é, praticamente, dissipado. Fica apenas a sujeira nos dedos após sua leitura.

É por isso que nós, 7cos, gritamos: Chega de censura! Chega de cerceamento de liberdades constituídas à base de tortura, morte e muita luta! Chega de autoritarismo em nome do establishment! Liberdade de expressão e de manifestação do pensamento já! E para sempre. Ponto final.


NOTA DO BLOG “FALHA DE S.PAULO”


Há duas semanas resolvemos fazer um site de humor destinado à crítica da cobertura jornalística, o Falha de S.Paulo (www.falhadespaulo.com.br), uma sátira ao jornal “Folha de S.Paulo”. É um site com críticas? Sim, claro. Tão duras quanto as feitas pelo CQC, Casseta & Planeta ou José Simão, por exemplo. Hoje recebemos uma decisão liminar (antecipação de tutela, concedida pela 29ª Vara Cível de SP) que nos obriga a tirar o site do ar, sob pena de multa diária de R$ 1.000.

A desculpa utilizada pelo jornal para mover a ação foi o "uso indevido da marca" (tucanaram a censura).


É chocante a hipocrisia da Folha. Se isso não é censura e um atentado inaceitável à liberdade de expressão, juro que não sabemos o que é. Chega a ser cômico: o mesmo jornal que faz dezenas de editoriais acusando o governo de censura e bradando indignado por “liberdade de expressão” comete esse ato violento de censura. Ato este, aliás, bastante covarde: o maior jornal do país movimentou um enorme escritório de advocacia e o Poder Judiciário contra um pequeno site independente. É muita falta de humor, de esportividade, de respeito à democracia.


Senhores proprietários e advogados da Folha, podem ficar tranquilos. Todos ainda poderão ser satirizados, menos vocês. Todos merecem liberdade de imprensa, menos quem não é da sua turma. E, como ao contrário de vocês, respeitamos as instituições e a democracia, vamos cumprir a ordem judicial.


Parabéns, Folha! A censura imposta por vocês será cumprida.

Lino Ito Bocchini e Mario Ito Bocchini


(NOTA EXTRAÍDA DO SITE http://www.falhadespaulo.com.br/)

7cismo

1 de outubro de 2010

UMUNDUNU - ESCOLA JOVEM LGBT

Jovens homossexuais, bissexuais e (por que não?) heterossexuais podem aprender um pouco mais sobre a cultura LGBT ou LGBTTTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros e Simpatizantes) na primeira escola do gênero no país.

A Escola Jovem LGBT iniciou seus trabalhos em março de 2010, em Campinas, e é resultado de um convênio entre o Governo do Estado e o Grupo E-jovem de Adolescentes Gays, Lésbicas e Aliados que tem como objetivo difundir sua cultura.

Moradores da Grande São Paulo também podem freqüentar as aulas de diversas disciplinas, desde a criação de revistas até dança e performance, sempre com foco LGBT.

Os cursos oferecidos são: Expressão Artística (Dança, Música e Performance - Drag Queen), Expressão Cênica (WEB TV, Teatro e Cinema) e Expressão Gráfica (Fanzine, Revista e Livro).

As matrículas e inscrições para bolsas de estudo estão abertas. Os interessados devem escrever para escola@e-jovem.com ou entrar em contato pelos telefones (19) 3307 3764 ou (19) 9341 3764. Não há taxa de inscrição, mas as pessoas podem colaborar com doações para o Grupo E-Jovem.

O principal objetivo da Escola Jovem LGBT é oferecer ao jovem todas as ferramentas para que ele possa se expressar, conhecer a Cultura LGBT e produzir sua própria cultura.

Renato Souza