25 de agosto de 2010

UMUNDUNU - ANDAR NA LINHA

Ser correto.
Direito.
Ser exemplo para os demais, principalmente para os mais novos.
Ser educado.
Vestir-se bem. Comer bem.
Não misturar leite com manga, não responder as pessoas, não tratá-las mal.
Falar com o motorista somente o indispensável.
Atravessar na faixa.
Usar o cinto na mesma cor dos sapatos.

Não falar com estranhos, não dar bom dia a cavalos, não chutar cachorros na rua, nem mendigos. Não desperdiçar água, nem comida.
Ajudar os necessitados.
Doar sangue, doar alimentos, roupas, brinquedos.
Cumprimentar as pessoas no trabalho e na faculdade, na rua também.
Dar lugar para os idosos, deficientes e mulheres grávidas.
Ser gentil e dizer obrigado.
Não falar palavrões.
Nem o santo nome de Deus em vão.
Cobiçar? Nem pensar, não é? Ainda mais se for a mulher do amigo.
Do amigo da onça pode.

Escovar os dentes e tomar banho todos os dias.
Não andar com gente que não presta.
Ir pela sombra.
Beber moderadamente, e isso, só depois dos 18 anos.
Transar com camisinha, mas isso pode ser antes dos 18.

Levar o casaquinho.
Não sair na chuva, nem andar descalço.
Limpar o quarto, arrumar a cama.
Dormir cedo.
Votar.

Esse mundo é meio estranho mesmo. Desde pequeno as pessoas me impõem regras. Quando não tinha opção eu as aceitava. De um tempo para cá comecei a não mais aceitar algumas delas. Não me revoltei. Apenas criei algo muito particular que sei que todo mundo tem, mas poucos usam. Opinião. Comecei a questionar. Já me viram como diferente. Garoto problema. A nossa sociedade é repleta de normas, regras, leis. O caralho a quatro. Não estou falando do código penal, não saiam por aí roubando e matando, é melhor vender balas nos ônibus. Acredite, funciona.

Só estou alertando que existem duas opções. Sempre existiu. SIM e NÃO. Automaticamente temos o costume de engolir goela abaixo a primeira coisa que nos aparece. Sem ponderar. Sem medir as consequências. Sem analisar o outro lado da moeda. Depois reclamamos. Só reclamamos. E fazemos o que? Votamos.

Renato Souza

7 comentários:

  1. Hoje em dia, quase nada do que vc falou está na moda. Quem anda assim, está no contrafluxo do politicamente correto.

    ResponderExcluir
  2. Não disse que estava ou não na moda. Apenas que ouço desde muito pequeno essas coisas.

    Se bem que estar na moda pode ser pauta para outro texto...

    Desconheço o politicamente correto. Não sei bem ao certo o que significa ser isso. Mas não devo ser um bom exemplo de.

    ResponderExcluir
  3. Renato, não dê ouvidos à maldade alheia. Agora, sobretudo no momento em que voce aprendeu a duvidar, siga isso. Só não creia que os contrários sejam repelentes. A diversidade da multiplicidade de opiniões precisa conviver e prevalecer pacífica e combativamente.
    Só há uma certeza, a dúvida!!

    ResponderExcluir
  4. Fico com o velho e bom Claudio nessa. Só há uma certeza: a dúvida. Mas, ao contrário do que você pensa, MUITOS caminhos. A vida, (in)felizmente, não é uma dicotomia maniqueísta. Há vários caminhos, uma roa dos ventos deles.
    Mas duvide sempre: cogito ergo sum.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. As regras sociais com o passar do tempo, por motivos óbvios, tendem a ficar obsoletas! E é sempre saudável rever conceitos como sugeriu o Renato... Mas, concordo com o Rodrigo, "A vida, (in)felizmente, não é uma dicotomia maniqueísta" e não há só o NÃO ou SIM, mas, uma infinidade de possibilidades.

    ResponderExcluir
  6. Mas, essa de q "quase nada do que vc falou está na moda" é a pior, hein mano?
    "politicamente correto"? Pára... num dá. Acorda minha filha!

    ResponderExcluir
  7. Thiagão, acredito que ela utilizou a ironia.
    (assim espero...)

    ResponderExcluir