8 de julho de 2010

UMUNUDUNU - DESABAFO DE UM JORNALISTA

É, eu ando de chinelo. Eu não faço a barba. Mal penteio o cabelo, isso quando não raspo. Sabe que até facilita a vida? É uma preocupação a menos saber se a juba está ou não “alinhada”.

Eu me visto mal. Não combino cores. Até hoje não sei o que é “ton sur ton”.
E olha que eu deveria saber de tudo.

Eu sou um mentiroso. Só não conto isso pra ninguém.

Não uso roupa de marca. Aliás, até uso. Meu tênis é Nike, a bermuda também.
Até por que foi uma das poucas que me serviu. Roupas mesmo, tenho apenas três. Minha camisa? Essa eu comprei no Carrefour. Liquidação, me custaram R$12,00 cada.

O único investimento que fiz em mim foram meus óculos, meus amigos.
Aí, você pensa: vagabundo? Nada disso, trabalho o mesmo tanto e às vezes até mais do que você. E isso para ganhar o dobro. O dobro de esporro, de dor de cabeça, de estresse... E menos da metade do seu salário. Não amigo, não é telemarketing.
Não sou louco.
Se bem que um pouco de insanidade não faz mal a ninguém.
Eu sou jornalista.

Grande coisa, você também pode ser.
Mas não vai.
Por que eu sou melhor.
Eu escrevo bem. E você? Tem coragem de escrever? Deixar centenas de pessoas lerem e te criticarem? Pois é, eu faço isso.
Se eles não gostam e me criticam. Mas já viu algum critico ser nome de rua. Avenida, ponte ou estádio? Nem eu.

A diferença é que você quando sai do escritório, desliga e vira um cidadão comum.
Eu não. Eu sou jornalista 24 horas por dia. Nas folgas e nas férias.
Isso não é profissão, é estilo de vida. Eu me divirto trabalhando e ainda recebo por isso. Mas sabe o que é mais divertido?
É que você ainda lê...

Eu não me acho foda. Eu sou foda!
Eu sou foda e você sabe disso.
E quando eu me formar vou continuar ganhando menos que você e trabalhando muito mais. Mas quem ri por último sou eu.
Eu sou feliz, eu ando de chinelo.
Não faço a barba.

Eu sou um vagabundo.
Aliás, um vagabundo nato.
Aliás, Renato.
Duas vezes nato. Nascido duas vezes.
Quem sabe da próxima eu nasça gentil.
Por que nessa, sou jornalista mesmo!

Renato Souza

2 comentários:

  1. Ton sur ton é o Tom Jobim acima do Tom Cruise que fica acima do Tom Zé que está acima do Tom Cavalcante. A ordem inersa é ton sous ton. E a desordem é o ton mélangé.

    ResponderExcluir
  2. Quanto Tom! Tom pra lá, Tom pra cá, ton sous ton, ton mélangé. Tem uns tons aí que eu nem sei pronunciar! Tem ton que eu ouço, tem ton que eu não sei o ton. Mas o tom deste desabafo faço meu também, tom sarcástico, tom irado, tom de quem não está nem aí pra porra nenhuma! Como eu, que não me chamo Tom, mas não "tonenhaí"!

    ResponderExcluir