19 de maio de 2010

FUTEBIZARRICES - O QUE HÁ COM O CAMPEÃO DO SÉCULO XX?

O final do ano de 1999, o Palmeiras gozava de grande prestígio no cenário futebolístico. Primeiro colocado no ranking da Federação Paulista de Futebol até aquele momento, o clube do Parque Antarctica foi nomeado o "Campeão do Século XX" pela entidade que rege a modalidade no Estado. A superioridade alviverde fora confirmada também pela IFFHS (Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol), criada pela FIFA para analisar resultados de jogos e desempenho de cada equipe no cenário internacional, com a segunda posição no geral, atrás do Boca Juniors, da Argentina. Os jornais Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo e a revista Placar também reconhecem a 'conquista' palmeirense.

De fato, o Palmeiras conquistou muitos títulos no século XX. Foram 21 estaduais, quatro Campeonatos Brasileiros (72/73/93/94), uma Copa Libertadores (99), uma Copa Mercosul (98), uma Copa Rio (1951, espécie de campeonato mundial), duas Taças Brasil (60/67), dois Torneios Roberto Gomes Pedrosa (1967 e 1969, estes dois últimos campeonatos com status de nacionais), entre outras competições internacionais.

Entretanto, o atual século reservou poucas glórias ao alviverde imponente. A eliminação nas quartas-de-final da Copa do Brasil deste ano para o Atlético-GO evitou que o clube paulista chegasse à semifinal do torneio, fato que não ocorreu justamente desde 1999, quando a equipe foi derrotada pelo Botafogo-RJ, nos pênaltis. A competição ainda traz duas fatídicas lembranças para a torcida nesta década: a eliminação para o Asa de Arapiraca (AL) ainda na primeira fase de 2002, em pleno Parque Antártica, e a goleada por 7 a 2 para o Vitória, no ano seguinte, e também em casa. O time ainda foi desclassificado pelo Santo André (2004, quartas-de-final) e Ipatinga-MG (2007, segunda fase).

Em 2002, o pior momento da história do Palestra Itália. Derrotado nas semifinais do Torneio Rio-São Paulo pelo São Paulo, no famoso jogo dos cartões (com empates nos dois jogos, o tricolor avançou por ter levado menos cartões amarelos), o Palmeiras passou pelo vexame de ter sido rebaixado no Campeonato Brasileiro, sendo derrotado no último jogo por 4 a 3 pelo Vitória-BA.

Na Série B, a equipe deu a volta por cima e sagrou-se campeã, garantindo sua volta à elite nacional, em 2004, quando terminou com o quarto lugar (melhor posição do clube nesta década e repetida nos anos de 2005 e 2008), assegurando vaga na Copa Libertadores.

As boas posições contrastaram com decepcionantes participações no principal campeonato do País. Em 2006, o time terminou no 16° lugar, apenas uma posição à frente da zona do rebaixamento. No ano seguinte, a perda da vaga na Libertadores na última rodada, com uma derrota em casa para o Atlético-MG, foi ofuscada pela torcida com a comemoração pela queda do arquirrival Corinthians. O tropeço ainda se repetiu no ano passado, a equipe liderou boa parte do campeonato, mas acabou em quinto lugar e sem a classificação para a competição sul-americana, com outra derrota na partida final, desta vez para o Botafogo.

Na Libertadores da América, o desempenho do Palmeiras também não empolgou. Apenas em 2001 o time alviverde foi bem, caindo nas semifinais para o Boca Juniors, nos pênaltis, em pleno Palestra Itália. Depois disso, foram mais três participações, caindo duas vezes seguidas nas oitavas-de-final para o rival São Paulo (2004 e 2005) e uma vez nas quartas, para o Nacional, do Uruguai, no ano passado.

Para piorar o quadro da seca palestrina, seus três maiores adversários no Estado obtiveram várias conquistas importantes: o Santos conquistou três Campeonatos Paulistas (2006, 2007 e 2010) e dois Brasileiros (2002 e 2004); o São Paulo foi campeão da Copa Libertadores e Mundial em 2005, além do tricampeonato brasileiro, em 2006, 2007 e 2008 e do título paulista de 2005. Já o arquirrival Corinthians levantou um Campeonato Brasileiro (2005), duas Copas do Brasil (2002 e 2009), um Torneio Rio–São Paulo (2002) e três estaduais (2001, 2003 e 2009).

É bom diretoria, jogadores e comissão técnica abrirem os olhos, pois 2010 poderá ser mais um ano de escassez para os lados do Parque Antarctica. O Campeonato Paulista e a Copa do Brasil já passaram e a sede da torcida palmeirense por resultados expressivos continua aumentando. Vamos ver o que nos espera no Brasileirão e na Copa Sul-Americana, que neste ano, finalmente, valerá alguma coisa (para quem não sabe, a competição continental não será mais apenas um torneio caça-níquel. A partir de 2010, o campeão garantirá uma vaga na Copa Libertadores da América).

Gabriel Lopes

3 comentários:

  1. Todo mundo sabe o tamanho da SEP. Os grande rivais ainda os respitam. Falta a diretoria alviverde descobrir essa grandeza. Trata o time como pequeno. Contrata como pequeno. Joga como time pequeno. Por filas todos clubes passam. Os maiores do país já passaram. TODOS. O problema está dentro dos "jardins suspensos". A erva daninha está crescendo e ninguém a poda. É tão dificil olhar para o próprio umbigo e ver o erro?
    Amanhã pode ser tarde. Muitos clubes gigantes já se apequenram, não só no Brasil, no mundo.

    A torcida continua. O clube continua.

    Jogadores e Diretos passam.

    O Palmeiras é maior que tudo isso...

    ResponderExcluir
  2. O Palmeiras é o nosso rival favorito e, sinceramente, tá começando a perder a graça ver o Poequeiras em desgraça (desculpe o trocadilho)... Quando eu penso no Palmeiras, me vem a cabeça um time técnico e com tradição. O verdinho tem q jogar bonito... \Manda esse bando de burucutu embora e deixa só o Marcão.........

    Até mais,
    Vai Corinthians!!! Rumo a Liberta 2037!!!

    ResponderExcluir