26 de abril de 2010

REALPOLITIK - RODRIGO, O VACINADO


Vejo a seringa no lixo. Não há mais nada a fazer. Parafrasear Thiago, meu colega 7co, foi fácil. Difícil foi encarar uma seringa enorme, com uma gigantesca agulha na ponta, cheia de organismos maléficos criados pela natureza para me ferrar. Pior: estou fora do grupo de vacinação "obrigatório", no entanto minha esposa, médica, discursava sobre as maravilhas da medicina e dos anticorpos "artificiais", aqueles mesmos que, como disse o Thiago, já "circulam pelas artérias do pobre estudante de jornalismo". Como o 7co blogueiro, eu dizia para todos ouvirem: "Não tomo esta vacina nem fodendo!".

Tive que pagar para ser vacinado. Como a vacinação para o "meu grupo" é só a partir de 12 de maio, a já citada cônjuge combinou com um colega médico, proprietário de uma clínica, para me aplicar a carga de microorganismos nocivos. Morreram 120 reais. O tal colega da minha consorte enunciava os benefícios da vacina à humanidade. Tendi a concordar para vê-lo calado, pois meu braço estava dolorido, sentia cansaço e dores de cabeça - sim, imediatamente após a vacinação. Agora quem ataca é uma febre baixa, contudo suo como um gordo sentado à mesa da churrascaria. A dor da agulhada foi visceral e a senti tocar o osso do braço. Exagero? Pode ser. Conta o fato de eu sofrer de fobia à agulhas?

Fui vacinado triplamente: H1N1, gripe sazonal e uma outra que nem me dei o luxo de saber. A agulhada é dolorida, a febre é baixa e a dor de cabeça incomoda. O bolso, entretanto, é o que mais reclamou. Sinto-me violentado. Ponto final.

Rodrigo De Giuli

4 comentários:

  1. Me recuso a tomar essa vacina. Por motivos pessoais.

    Gostei do blog e estou seguindo.


    http://tocadocogumelo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. "outra que nem me dei o luxo de saber"

    Rodrigão, esta é a que vem o chip GPS que corre por suas veias. Rá!

    Vacinas? Blargh! Sou careta.

    ResponderExcluir
  3. Oooooooooh Rodrigão... eu vou te perdoar por tomar essa PORRA de vacina pq como diz o Sêneca "quem se arrepende de ter errado é quase inocente"...
    *EU NÃO ACREDITO NA GRIPE SUÍNA*

    ResponderExcluir
  4. Thiagão, vestirei tal carapuça: sou QUASE inocente. Se arrependimento matasse...

    ResponderExcluir