29 de janeiro de 2010

UMUNDUNU - NOS BASTIDORES DA NOTÍCIA


O cenário é a redação do telejornal de uma grande emissora. O “pega pra capar” de profissionais envolvidos em cumprir as tarefas relativas ao frenético cotidiano em busca da notícia. Esta trama se desenrola na década (1970 – 80). Nesse contexto, o âncora é uma espécie de “pop star”, uma celebridade não somente detentora de altos salários, como também uma pessoa pública que tem sua vida privada colocada em evidência pelos meios de comunicação. Sua casa, seu casamento, os automóveis que prefere, onde passa suas férias, são os quesitos que, aliados à sua bela postura física, e seu atestado de bom mocismo, conferirão credibilidade aos seus pronunciamentos durante o ritual jornalístico da TV. O sacerdócio da notícia.

Tom Grunick, personagem encarnado por William Hurt, é um ex jornalista de esportes que aspira a condição de estrela maior nesse céu. Ele quer e precisa ser levado a sério para tornar-se âncora.

A produtora do telejornal, Jane Craig, interpretada por Holly Hunter, e seu colega de redação, o repórter Aaron Altman, encenado por Albert Brooks, por motivos diversos e escusos, não vêem com bons olhos as pretensões de Grunick. Forma-se então entre eles uma relação tripartite entremeada por questões que vão do emocional às preferências e julgamentos de foro profissional.

O roteiro bem estruturado oferece ainda a visão da estratégia econômica de uma grande empresa de comunicação. Um empreendimento capitalista que, acima de qualquer outro objetivo, prevê resultados financeiros sempre, e cada vez mais positivos. Um ambiente em que a desenfreada competição do mercado não só define as relações humanas internas, como também imprime a ética dos protagonistas para com o público.

O filme “Nos bastidores da notícia” (Broadcast News, EUA, 1987), escrito, dirigido e produzido por James L. Brooks, propõe questões viscerais concernentes ao jornalismo contemporâneo e, embora abrangendo especificamente o telejornalismo, remete o receptor diretamente interessado à reflexão ampla sobre as relações entre mídia e sociedade.

Claudio Zumckeller

0 comentários:

Postar um comentário