24 de novembro de 2009

UMUNDUNU – TRÊS FILMES PARA VOCÊ ASSISTIR


(500) Days of Summer – “500 dias com ela”

Diretor: Marc Webb

“Any resemblance to people living or dead is purely accidental. Especially you, Jenny Beckman. Bitch”

É com essa “nota do diretor” que o filme começa.
Sim, é um filme de comédia romântica, apesar disso, com certeza ele está entre os melhores filmes produzidos no ano. No gênero, é disparado o melhor.

A história é a de sempre. Garoto conhece garota, começam um relacionamento e... Aí que o filme surpreende. Logo nas primeiras cenas somos brindados com o cômico rapaz (Joseph Gordon-Levitt) sofrendo pela mulher (Zooey Deschanel).

A película se desenrola durante os 500 dias de relacionamento do casal, mas a linearidade não existe, é mostrado um carrossel de altos e baixos. No começo do filme, estamos no fim. No fim do filme, estamos no começo.



Manderlay

Diretor: Lars Von Trier

Sou suspeitíssimo a falar de qualquer filme deste gênio. Mas a indicação é boa.
Manderlay é a continuação de Dogville. Após “destruir” Dogville, Grace e seu pai encontram uma fazenda onde ainda existe trabalho escravo. O ano é de 1933, faz 70 anos em que a escravatura foi abolida.

Então, como boa samaritana, seu coração de mel e seu superego, Grace decide resolver os empecilhos existentes por lá.
O ponto principal de Manderlay é o racismo. O principal. Porque Lars Von Trier utiliza toda ironia e artifícios possíveis para ralhar o ser humano.

Os críticos dizem que Dogville e Manderlay seriam um “Ensaio sobre os Estados Unidos da América”. Não são.
Se devemos rotular, prefiro: “Ensaio sobre o Ser Humano”.

Só nos resta esperar o ano que vem para conferir a última parte dessa trilogia.




Feliz Natal

Diretor: Selton Mello

O filme é arrastado e cansativo. Tanto que é uma experiência única. Assistir duas vezes é complicado. Mas vale muito.
Selton Mello mostra no filme toda a hipocrisia natalina. A família quebrada, parentes que se odeiam reunidos em volta do peru...

O foco principal é Caio (Leonardo Medeiros), que retorna na noite de natal para ficar com a família. Mas suas ações no passado tornam a convivência familiar em uma tragédia grega.

Alugue e assista, mas só uma vez. Caso seus olhos fiquem marejados só por pensar no clima natalino, fuja do filme.







Felipe Payão

0 comentários:

Postar um comentário