28 de outubro de 2009

UMUNDUNU - HORÓSCOPO, OU A FALTA DELE, NA MINHA VIDA


O início deste mês (setembro/2009) começou estranho para mim, com certa má fase me rondando e fazendo que muitas coisas não dessem certo. Por não acreditar muito em sorte e esses tipos de coisa, não me preocupava tanto, afinal, era só uma fase. Mas, um dia, no metrô para o trabalho, vi na televisãozinha do vagão o horóscopo do dia. Calma, não tive nenhum insight e nenhuma luz apareceu, iluminando minha cabeça. Só tive a ideia de acompanhar meu signo mesmo.

Antes de segui-lo diariamente, decide analisar como seria meu mês, de acordo com os astros. Acessei dois sites para ter duas fontes e saber se havia alguma diferença entre elas. Ambas disseram que o momento era de agitação e que deveria investir em projetos pessoais. Achei interessante também essa história de planeta passando em signo, mas a explicação que elas deram para a influência que isso teria na minha vida era tão confusa, que preferi ignorar e não transcrevê-los no texto. Outra coisa que será esquecida e o lado amoroso, pois estou solteiro e essas previsões foram sempre para quem estava comprometido.

A primeira semana de experiência não foi lá tão animadora, por já ter ocorrido um erro logo no primeiro dia. "Risco de conflitos por falta de tolerância.", previa o horoscopo.uol.com.br. Logo eu que sou um "autêntico" canceriano, calmo, sereno e preocupado em não entrar em rusgas com ninguém. Na manhã seguinte, outra falha: "Prepare-se para um novo salto profissional.", citou o terra.com.br/esoterico. Estou esperando até hoje. Nos outros dias, nada de mais, apenas amor e crescimento profissional que, como estagiário, é meio difícil.

Finalmente um acerto na segunda semana. "Momento de aproveitar o calor humano em seu ambiente familiar!", no horoscopo.ego.globo.com. Pudera, era semana de aniversário da minha mãe, não poderia ser diferente, oras. Mais um ponto positivo ao ler que "A relação maternal do Canceriano fará com que este proteja o Ariano na hora de seus impulsos e nas eventuais horas de fracasso", dito pelo horoscopodiario.com.br. Meu pai é de Áries e estava planejando contribuir com alguma grana no carro da família. Entretanto, outra bola fora: "Sensação de corpo partido. Uma gripe avizinha-se, esteja muito atento aos sintomas." - astrologia.sapo.pt/previsoes. Também estou no aguardo.

Para a terceira semana, mais um meio-pontinho positivo: "Poderá ganhar dinheiro com uma atividade feita em casa.", do bonde.com.br. De certa forma está certo, pois, no dia, trabalhei no aconchego do meu lar. O restante da semana não foi tão curioso, pois, novamente o que estava em foco eram as relações amorosas e a vida financeira, que não tenho desde o início do ano.

Após esse período de experiências e testes, realmente, vivo tranquilamente sem meu preocupar com os que os astros fazem, mandam ou acham da minha vida. Nada de concreto se realizou nessas três semanas. Talvez o período escolhido não tenha ajudado ou a má fase é tão brava que até isso deu errado. Porém, muita gente baseia sua vida nessas previsões e, pelo menos por 20 dias, pude provar que elas podem duvidar do "destino que está traçado".

Gabriel Lopes

3 comentários:

  1. Horóscopo diário não funciona desse jeito. Aliás, nem funciona tanto, mas tente ler um livro, que pare em pé, sobre astrologia. Revistinha do Bidú não vale.
    Valeu aluno novo.

    ResponderExcluir
  2. Caro "afilhadinho",
    Porra, desde quando eu te incentivei a ler horóscopo? Tome vergonha na cara e vá procurar uma ciência de verdade, como Magia Negra, Quiromancia ou Criacionismo!
    Ou faça como o Thiagão te aconselhou: procure um livro de astrologia que pare de pé!
    Abraços do Dindo.

    ResponderExcluir
  3. Só o fato de ser previsão, há a possibilidade de que você possa mudar alguns fatos, já que você "imagina" o que vai acontecer... Fiz estes testes e também não deram certo, e não sei o porquê que ainda leio estes horóscopos (Mulher é fogo). Bom, mas como os dois aí em cima aconselharam: procure um livro de astrologia que pare de pé!
    Beijos, inté mais...

    ResponderExcluir