20 de outubro de 2009

FUTEBIZARRICES - ESCÂNDALO NA TERRA DE JOSÉ SARNEY

Não, caros amigos futebizarristas, não vou falar de política nessa nobre seção do 7CISMO. Assim como ocorre em Brasília, uma situação repudiante ocorreu no estado dominado pela família de nosso ilustre presidente do Senado. Pela Segunda Divisão do futebol local, dois times protagonizaram cenas lamentáveis na última rodada da competição.

Viana e Moto Club, o maior campeão maranhense, estavam empatados em número de pontos e brigavam pelo acesso à divisão principal. Última vaga, pois o Santa Quiteria já estava qualificado. Até aí, nada de mais, uma situação corriqueira no mundo da bola. Então, qual foi a nova? Explico.

Para iniciar, que tal dizer que o Moto Club, da capital São Luiz, foi rebaixado para a segunda divisão nesta temporada. Por manobras no regulamento (leia-se "virada de mesa"). Mas é Brasil, estamos acostumados com isso também.

Precisando tirar uma diferença de dois gols, no critério de desempate, o Moto enfrentou o já classificado Santa Quitéria, no estádio Nhozinho, em São Luís. Necessitando de boa vitória, o Viana recebeu o Chapadinha, no estádio Daniel Nascimento Filho. Vamos ao "caso".

JOGO: MOTO CLUB x SANTA QUITÉRIA

O Santa Quitéria entrou em campo com sua principal atração, de chuteiras brancas e camisa 10. Menin Leal, 52 anos, prefeito e presidente de honra do clube, que jogou os dez minutos iniciais. O Moto, logo no primeiro tempo já vencia por 3 a 0. Até o momento, e com o 0 a 0 em Viana, a vaga era do time da capital.

Quando a partida se aproximava do fim, porém, chegou a notícia de que o Viana começava a fazer gols. Coincidentemente, o Moto, que já contava com um jogador a mais, recebeu três pênaltis após os 37 minutos da etapa final. O último, aliás, foi desperdiçado. Mesmo com uma vitória por 5 a 1 e de tantos benefícios, o Moto acabou boicotado... ops... Eliminado.

JOGO: VIANA x CHAPADINHA

O time da casa precisava da vitória contra o Chapadinha para garantir o acesso à primeira divisão. O 0 a 0 persistia e, como de costume em partidas decisivas que são disputadas no mesmo horário, o segundo tempo iniciou com atraso, para que as equipes soubessem do resultado do outro jogo. O Moto vencia por três gols e Viana estava fora da elite. Os anfitriões conseguiram marcar 2 a0, que já garantia ao clube o acesso, mas os jogadores do Chapadinha, já eliminados, começaram a andar em campo e, literalmente, a entregar o jogo para o adversário.

A partir dos 35 minutos da segunda etapa, foram nove gols nos nove minutos finais. Em três tentos, é inevitável perceber que a intenção dos defensores visitantes era de perder a bola para os avançados da casa. Em outros dois gols, quatro ou cinco jogadores do Viana apareciam livres, dentro da grande área do Chapadinha. Resultado: Viana, classificado, 11 a 0.

Acesse o link:
http://www.youtube.com/watch?v=snuRpc7TFsU&feature=player_embedded

Assista ao vídeo com os gols da partida e tire suas conclusões.

O problema é saber quem é "menos santo" nessa história: o time grande que precisou de uma virada de mesa e pênaltis no fim da partida para garantir o acesso ou os times menores que tentaram, visivelmente, eliminar o "intruso" a todo custo.

Gabriel Lopes

0 comentários:

Postar um comentário