29 de setembro de 2009

REFLEXPRESS - O ENTE DOENTE (TELEFONEMA DE UM PARENTE HOSPITALIZADO)


Tocou o celular, não era hora! Eu estava dirigindo e tinha um marronzinho de olho. Um número não identificado. Estacionei e atendi:

- Alô – falei irritado. Alguns segundos de silêncio e escutei do outro lado:
- É você, meu querido! – era o tio Fausto diretamente do leito do Hospital das Clínicas.
Esse jeito de dizer “meu querido” era só dele.
- Ué, me disseram que o senhor estava em coma! Então foi um engano. Melhor assim – emendei surpreso e contente.
- Que nada! Foi só um susto e já está tudo bem comigo – Seu tom de voz passava credibilidade, ele estava mesmo bem. Que bom! Pensei.
- Quem está mal é a vida em geral, meu filho! – Ele disse convicto e iniciou o discurso: O mundo está doente. O planeta constipado arde em febre. Precisa de repouso urgente, quem sabe um exílio solitário no espaço com o que restar de fauna e flora. O homem que arranje onde morar enquanto isso, talvez outro torrão, Marte talvez. Ou, ainda, um banimento coletivo através de contínuos embarques espaciais, destino qualquer lugar – Ele parecia delirante.


Crédito: Ben Heine

Eu quis dizer algo, mas ele prosseguiu atropelando qualquer indagação.
- A humanidade precisa viajar, ser nômade galáxias afora. Feito algumas tribos que partem quando não há mais o que devastar em um local. A gente vai ter que se virar, literalmente. Municípios espaciais à maneira de Arcas de Noé, quem sabe? Porém somente os humanos, incluindo outros animais domesticados - Era impressionante o ritmo que ele imprimia à fala.
- Imagina o Lulu sem o banho e tosa semanal! Ou Heleninha sem Lulu – comentou irônico e riu.
Mas não me deu espaço para falar e continuou:
- Somente a natureza nua e crua, sem acompanhante humano qualquer, ela a sós com ela por uns tempos.
Fora daqui, vidas infames, vão cantar em outro terreiro! – ele gargalhava e não perdia o tom, parecia que tinha ensaiado o texto e mandava brasa - Você há de sorrir e dizer que estou pirado e que não vai perder tempo pensando asneira. Vai lembrar que o negócio é ganhar muito dinheiro e ser feliz. Tudo bem, vai nessa! Mas não se esqueça de apagar a luz quando sair. Leve alguns livros e, se puder, fique tranquilo.

O homem vai, com certeza, inventar outra história em outro lugar, ou em lugar algum. Imaginemos, meu filho, é preciso ao menos refletir sobre isto por agora. A possibilidade de nomear outras coisas, dominar outros seres, inventar outros mundos. Enfim, criar outro conto da carochinha, ou uma burla de melhor gosto e menor desastre. Outra metafísica, só uma, decente ao menos, já que ser e deixar ser é complexo demais. Enquanto isso, no vão da nossa ausência, Gaia há de se revitalizar. E, rejuvenescida, há de criar anticorpos resistentes a ponto de eliminar do seu organismo indesejáveis presenças. Como o corpo humano, quando inflamado e febril, rejeita e expulsa de si estranhos invasores.

- Senti que ele terminou esta frase com um longo suspiro – caiu a linha. Fiquei preocupado e liguei de volta. Só caixa postal.
À tardinha ao chegar em casa tornei a ligar e fui informado que meu tio estava em coma profundo há uma semana e com diagnóstico irreversível.
- Que porra é essa? – exclamei inconformado e desliguei.

Claudio Zumckeller

4 comentários:

  1. Não é mais um blog chato com textos chatos...
    Pô, até que se encontra coisas bacanas na internet.

    ResponderExcluir
  2. Porra, que puta texto chato! Este é sim mais um blog chato com textos chatos...

    ResponderExcluir
  3. VTNC anonimo!
    O tx é mto legal! Mó viagem!!! Adorei! Posso fz 1 perg? O Cláudio é 1 kra + velho?
    Por kza do jto q escreve, maduro, adulto...
    Cynthia-RJ

    ResponderExcluir
  4. É sim, Cynthia.
    Mas tem o espírito mais jovem entre nós do blog. Rsrsrs.
    Beijos!

    ResponderExcluir