20 de agosto de 2009

UMUNDUNU - RECLAMAÇÕES [?] DE UM PAULISTANO

Criaram a Lei Cidade Limpa e acabaram com toda a poluição visual que destruía alguns pontos desta cidade. Quanta diferença. Principalmente se você somar a isso o fato de algumas edificações terem modificado e modernizado suas fachadas. Alguns deram uma pintada (há, há, há) na parte da frente, mas já foi alguma coisa. Quem se deu mal foi o pessoal da Formula 1, afinal quem não se lembra dos outdoors durante as corridas?
Logo depois aumentaram a restrição ao rodízio de veículos, acrescentando os caminhões, sendo esses de São Paulo ou não. Restringiram também a circulação de ônibus fretados em determinados pontos da cidade. Tudo isso visando à melhoria do trânsito, que estava (ainda está) a beira de um colapso. Compraram veículos novos, metrôs e trens também. Investiram pesado no transporte público.

Não se pode mais fumar em ambiente fechados, muito menos dirigir embriagado. Chamar meu amigo negro de negão pega mal, de veado o afeminado também. O gordo e o magro se podem zoar à vontade, pelo menos por enquanto.
No banco tenho que ser atendido em 15 minutos, se quiser não recebo mais ligações de telemarketing às 3 da manhã de sábado. O telefone funciona, a internet quase não cai.
Ganhei uma semana de férias por causa da Gripe A – H1N1 que mata menos que uma gripe normal. Mas como essa é importada, melhor ter mais atenção, afinal ninguém da favela tem ido para a Argentina.

O Muricy foi demitido, meu melhor professor também.
Não pego mais fila para comprar ingresso no estádio, mas também não como nada do lado de fora do Morumbi por que os ambulantes também foram proibidos.
Meu carro não pode poluir mais, até o CO² querem controlar.
A Cracolândia não é mais a mesma, mudou-se duas ruas para cima. Dizem que proibiram a prostituição, mas o “Vintão” e o “Zé das Tintas”, aqui na Sul estão funcionando como sempre. Quem se ferrou mesmo foi o Marone.
A gasolina não é mais adulterada, foi o que me disse o dono do posto com cara de assustado quando perguntei. Nasce uma igreja evangélica a cada esquina, assim como um pet shop e uma academia meia boca. Pizzaria nem se fala.

O que estão fazendo com a minha cidade?
Querem acabar com o trânsito, despoluir os rios, limpar as fachadas, querem que eu respire um ar mais puro, que não pegue mais filas, nem mulher feia na balada. Que não coma mal, que não me atrase, que consiga entrar e me sentar no ônibus, metrô e trem.
Estão acabando com a minha São Paulo.
Qual será o próximo passo?
Acabar com a criminalidade?
Com a corrupção?
Ou dar um estádio para o Corinthians?


Renato Souza

3 comentários:

  1. O pior ainda está por vir: coleiras identificadoras, chips nos veículos - os caras que perseguem putas e travestis na rua estão com os dias contados, masturbação será a única saída! -, tele-telas nas casas (a lembrança foi sua, assuma) e o fim das liberdades individuais. O coletivo, ao contrário do que pregou este mesmo capitalismo que hoje nos obriga a sermos TODOS iguais. Lenin revira-se morto, chocado. Contudo, tenho apenas uma única retificação a lhe fazer: é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que o Corinthians ter um estádio.
    Rodrigo De Giuli

    ResponderExcluir
  2. Pô, antes que eu me esqueça, coloque uma foto com a ponte pronta!

    ResponderExcluir
  3. E não é que deram um estádio pro Corinthians!

    ResponderExcluir