18 de agosto de 2009

UMUNDUNU - APAGUE ESSE CIGARRO!

Entrou em vigor em São Paulo a Lei Antifumo (Lei Nº 13.541, de 7 de Maio de 2009.)

Avise aquele seu chefe mais desavisado que agora estão proibidas “fumadas” em ambientes públicos e fechados; o escritório por exemplo. De hoje em diante as famosas “encardadas” só serão aceitas ao ar livre e de preferência sem alguém por perto, até para evitar ser motivo de chacota no barzinho de sexta.

Avise também seu professor metido a ditador, autoritário ao extremo, mas que em casa quem manda é a mulher.
Falando sério (fala sério!), como é bom poder apontar para uma pessoa, encher os pulmões (agora só de oxigênio) e gritar, APAGUE ESSE CIGARRO, SEU FUMANTE! Caramba, quero ver alguém me xingar de alcoólatra, pelo menos eu posso beber onde eu quiser, é só não dirigir. Se bem dirijo melhor bêbado que sóbrio. Agora o fumante é visto com outros narizes.

Depois da aprovação da lei, não seria sanção? Não, estou falando da aprovação por parte da sociedade. Depois da nova lei comecei a imaginar o mundo como no livro 1984 de George Orwell. Haveria “tele-telas” instaladas em todas as partes denunciando os infratores, crianças seriam educadas nas escolas para denunciarem seus pais que fumam escondidos em um canto da sala ou da cozinha onde a fumaça poderia ser confundida com a do jantar.

Mas a melhor cena que desenhei até o momento é daquela patricinha entrando no banheiro da balada para, linda, absoluta, loira e esperta fumar seu cigarro de canela (ou cravo, que seja) e saindo toda molhada após a fumaça acionar o censor de fumaça.
A lei é valida, porém difícil de ser cumprida, me resta tirar um sarro de meus colegas fumantes enquanto saem do bar para fumar unzinho na rua.
Faça sua parte, aponte para um e grite a plenos pulmões, SAIA DAQUI, SEU FUMANTE!
Divirta-se.


Renato Souza

2 comentários:

  1. você fuma? o cigarro é o seu vício, mas o resíduo do seu vicio me faz mal, então não fume perto de mim, a fumaça do seu cigarro contamina o ar que eu respiro.

    acontece que eu tenho um vicio também,
    eu tomo umas cervejinhas, e o resíduo do meu vício é a urina.
    O QUE VOCÊ DIRIA SE EU MIJASSE NO SEU NARIZ?

    ResponderExcluir
  2. Serjão é o cara! E se eu fosse o Serjão, eu mijava no Renato! Apesar de meu "vício" na loira gelada, procuro não contaminar árvores, postes, rodas de automóveis ou vielas com meus resíduos; façamos todos, por favor, no vaso sanitário, certo?
    Grande Serjão!

    ResponderExcluir